Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DYLAN´S WORLD

"Fui à floresta viver de livre vontade, para sugar o tutano da vida. Aniquilar tudo o que não era vida. Para, quando morrer, não descobrir que não vivi". (Henry David Thoreau)

DYLAN´S WORLD

"Fui à floresta viver de livre vontade, para sugar o tutano da vida. Aniquilar tudo o que não era vida. Para, quando morrer, não descobrir que não vivi". (Henry David Thoreau)

12.12.18

Um país de mansos

Dylan
Em França, uma revolta popular estrondosa por causa do aumento das taxas sobre os combustíveis juntou a exigência de melhores salários à menor precariedade no emprego. Em Portugal, um país de brandos costumes, já ninguém liga aos constantes aumentos do preço dos combustíveis, ao garrote fiscal, ao aumento do custo de vida nem ao preço excessivo da electricidade e do gás. A preocupação é diminuir o IVA nas touradas, indignarmos por causa daquele penalty não assinalado ou (...)
13.07.16

Milhões a rodos

Dylan
O provérbio "o que é demais, é moléstia", serve perfeitamente para retratar a alienação geral que se tornou esta vitória da Selecção Nacional de futebol. Mas já que estamos numa onda de amor à pátria, só quando nos convém, claro, reparei que parece jorrar milhões de euros por todo o lado, desde o impacto que esta vitória trouxe à economia passando pelo encaixe (...)
09.02.14

Deportações urgentes

Dylan
  A petição que exige a deportação para fora dos Estados Unidos de um jovem com voz de cana rachada a que chamam "cantor", é um dos bons exemplos de cidadania do povo americano que é salutar copiar. Aproveitemos o embalo e desterremos com urgência aquelas personagens que indirectamente ajudaram a cavar o buraco em que se encontra o país: os mentores das fraudes bancárias no BPN e BPP, o (...)
18.01.14

Profissão de sucesso

Dylan
  Dentro das novas profissões emergentes destaca-se uma - o participante de reality shows. Este espécime salta de programa em programa como muda de roupa. Dormem, comem e bebem de graça, proporcionam diariamente grandes números de circo - da estalada ao insulto - e habilitam-se a ganhar milhares. Como grandes empreendedores que são, gravam um disco assim que saírem da clausura ou publicam um (...)
09.01.14

O monte alegre

Dylan
  A criança, na sua doçura, chama-lhe "monte alegre". De facto, bem parece: um castelo encantado, barragens arrebatadoras com pequenas aldeias rodeadas de água por todos os lados, o rio Cávado, a Serra do Larouco, a esmagadora beleza do Parque Nacional da Peneda-Gerês,  o misticismo do Padre Fontes em Vilar de Perdizes e das "sextas-feiras 13", e a descoberta do  Santo Graal - a neve, que (...)
29.10.13

Azedume angolano

Dylan
Não percebo este azedume angolano em relação ao meu país, talvez os seus cidadãos e altos dirigentes se achem judicialmente inimputáveis. Deixem o Ministério Público fazer o seu trabalho, parem de ser vingativos e de
15.07.13

O sonho

Dylan
Sonhei que o povo que adora futebol e novelas tinha-se revoltado, insurgido nas ruas contra a corrupção que grassa no país e abrange todos os sectores de actividade. Aproveitando a cobertura mediática da realização de eventos desportivos, o povo critica o despesismo do uso de dinheiros públicos na construção de estádios e pavilhões, futuros elefantes brancos. Contra os banqueiros que (...)
06.06.13

A febre das raspadinhas

Dylan
    Não tenho nada contra quem quer tentar a sorte através das raspadinhas, mas quando isso se torna um vício tresloucado que se sobrepõe e impede outras necessidades básicas, é caso preocupante. A febre das raspadinhas é uma doença provocada por um vírus compulsivo, que provoca alucinações sobre enriquecimento fácil e pés-de-meia que não são mais nada do que acelerar o esvaziamento (...)
08.10.12

A Torre de Babel

Dylan
    Não há dúvida de que a bandeira portuguesa hasteada de pernas para o ar nas comemorações oficiais do 5 de Outubro é mesmo o espelho actual do país. É a estapafúrdia abolição de mais um feriado nacional, é a ocupação e capitulação perante a troika, é um pedido de auxílio para quem possa dirigir esta Torre de Babel em que o país se tornou, e que se alastra ao federalismo (...)