Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DYLAN´S WORLD

"Fui à floresta viver de livre vontade, para sugar o tutano da vida. Aniquilar tudo o que não era vida. Para, quando morrer, não descobrir que não vivi". (Henry David Thoreau)

DYLAN´S WORLD

"Fui à floresta viver de livre vontade, para sugar o tutano da vida. Aniquilar tudo o que não era vida. Para, quando morrer, não descobrir que não vivi". (Henry David Thoreau)

12.06.14

Reacções vagais

Dylan
  O desmaio de Cavaco Silva nas cerimónias do Dia de Portugal é o retrato perfeito do país, à beira da derradeira síncope, numa espécie de Torre de Babel onde ninguém se entende. Cidadãos contra cidadãos - aqueles que livremente se podem manifestar e os outros que acham que uma manifestação tem dias apropriados. Militares amordaçados e ironicamente em sentido perante (...)
02.04.13

Os filhos do cavaquismo

Dylan
  Os filhos do cavaquismo não gostaram de ver o ex-primeiro-ministro José Sócrates apontar a dedo os diabretes do Presidente da República. Insurgem-se na televisão, nos blogues, nos jornais e berram para quem os quiser ouvir. Escavacados por escândalos bancários, pelo facilitismo no crédito, pelo "tachismo", pelo maior número de anos consecutivos que estiveram num governo, (...)
25.03.13

Os indignados

Dylan
  Parece que anda muita gente indignada com o regresso de José Sócrates a Portugal, nomeadamente a sua futura participação num programa televisivo. São os mesmos que decidiram votar à direita e que agora se queixam da deterioração das condições de vida proporcionadas por este Governo, são os correligionários de esquerda que inviabilizaram o PEC IV (Programa de Estabilidade e Crescimento) e facultaram a entrada da "troika" em Portugal, são os mesmos que organizam petições (...)
19.12.12

Os dias do fim

Dylan
  Provavelmente no dia 22 de Dezembro já não vão ler estas linhas. O mundo acabou um dia antes, é o fim desta coligação política, quer Cavaco Silva queira ou não, é o fim desta pobreza que consome o país, o fim do desemprego, do constante assalto aos nossos salários em forma de impostos, de diluições. É o fim da inércia do Tribunal Constitucional, da justiça cega e (...)
18.10.12

O castigo das urnas

Dylan
O resultado das eleições regionais açorianas é um prenúncio para o que se irá passar nas Autárquicas do próximo ano. De facto, se bem que às vezes o desespero dos cidadãos os leva a querer fazer justiça pelas próprias mãos, é nas urnas que se deve castigar este Governo, os políticos e intrujões armados em génios fiscais que prometem muito mas não passam de um bluff (...)
08.10.12

A Torre de Babel

Dylan
    Não há dúvida de que a bandeira portuguesa hasteada de pernas para o ar nas comemorações oficiais do 5 de Outubro é mesmo o espelho actual do país. É a estapafúrdia abolição de mais um feriado nacional, é a ocupação e capitulação perante a troika, é um pedido de auxílio para quem possa dirigir esta Torre de Babel em que o país se tornou, e que se alastra ao (...)