Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DYLAN´S WORLD

"Fui à floresta viver de livre vontade, para sugar o tutano da vida. Aniquilar tudo o que não era vida. Para, quando morrer, não descobrir que não vivi". (Henry David Thoreau)

DYLAN´S WORLD

"Fui à floresta viver de livre vontade, para sugar o tutano da vida. Aniquilar tudo o que não era vida. Para, quando morrer, não descobrir que não vivi". (Henry David Thoreau)

14.01.19

O monte negro

Dylan
Não fiquemos escandalizados com o que está a acontecer no PSD, onde a ambição desmedida, o ego de um homem se sobrepõe aos interesses do partido, porque já aconteceu ao PS, em 2014, quando António Costa considerou a vitória de António José Seguro nas eleições europeias de "poucochinha" e o afastou da liderança. Costuma dizer-se que qualquer cópia é pior do que o original, ainda para mais feita por alguém que foi durante muito tempo líder parlamentar, uma caixa de (...)
18.07.18

Com papas e bolos se enganam os tolos

Dylan
    Enquanto se discute a tragédia do Ronaldo em ter mudado de clube, quase ter ficado desempregado, o parlamento chumbou o projecto de lei que punha fim ao adicional ao Imposto sobre os Produtos Petrolíferos (ISP). Engraçado que, há dias atrás, todos os partidos, à excepção dos socialistas, defendiam uma redução do ISP, inclusive esse tal projecto de lei que foi agora rejeitado. Hipocritamente, dois dos partidos "amigos dos pobres" que compõem a "gerigonça" mudaram de (...)
30.10.17

Incendiários

Dylan
Continuam os incêndios fora de época, pirómanos que gostam de ver  arder o país noutras áreas. No futebol, Bruno de Carvalho gaba-se da sua educação e disponibiliza-se a dar algumas cadeiras de ética aos dirigentes desportivos - lembrei-me logo dum incendiário a dar aulas a um bombeiro! Na política, Assunção Cristas aproveita-se dos fogos para chamuscar o Governo, esquecendo-se que foi ela, enquanto ministra da Agricultura, em 2013, responsável por uma política que (...)
30.03.17

Pimbalhada à moda da Madeira

Dylan
Séculos depois da cristianização regressa uma doutrina homónima na Madeira e que rapidamente alastra ao continente. A suposto da "promoção turística" da ilha, como se a Madeira não fosse reconhecida desde há muitos anos como destino de excelência, surgem inúmeros fiéis convertidos à "ronaldomania" que não admitem o quão ridículo é rebaptizar o 
05.11.15

Filhos de um Deus menor

Dylan
Depois do saudoso Ministro das Finanças, Vítor Gaspar, ter recorrido à chuva para justificar a desaceleração do investimento em Portugal, no primeiro trimestre de 2013, é agora a vez do estreante ministro da Administração Interna, João Calvão da Silva, dizer, em (...)
04.03.15

O país está melhor

Dylan
Primeiro foi o inenarrável líder da bancada parlamentar do PSD, Luís Montenegro, ao dizer, no ano passado, que "a vida das pessoas não está melhor mas o país está muito melhor"; recentemente foi António Costa dizer que hoje o país está numa situação "muito diferente" do que em 2011. E se ainda posso compreender, embora incrédulo, as palavras do secretário-geral (...)
16.12.11

Um político conto de Natal

Dylan
  Ebenezer Scrooge é um velho avarento retratado por Charles Dickens na obra "Um conto de Natal" que não quer saber do Natal para nada, quase exigindo que os seus empregados trabalhem nesta data. O actual primeiro ministro parece ter copiado o estilo do senhor, é carrancudo, arrogante, exigindo que se trabalhe mais meia hora, impondo sobretaxas sobre o subsídio de Natal, extirpando a função pública e os pensionistas. A não ser que os fantasmas de Scrooge decidam assombrar este (...)
17.10.11

Prenúncio de uma revolução

Dylan
    O ministro da Solidariedade e Segurança Social, Pedro Mota Soares, disse que este Governo vai ficar na História. Concordo, em menos de quatro meses, esta coligação regrediu mais de 35 anos tornado obsoletas as conquistas de Abril e cuspindo na própria Constituição. O seu líder esquece-se que não aprovou o PEC 4 por este "não potenciar o crescimento mas impor mais sacrifícios aos membros mais vulneráveis da sociedade". Travestido de guru da economia, chegou à brilhante (...)