Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DYLAN´S WORLD

"Fui à floresta viver de livre vontade, para sugar o tutano da vida. Aniquilar tudo o que não era vida. Para, quando morrer, não descobrir que não vivi". (Henry David Thoreau)

DYLAN´S WORLD

"Fui à floresta viver de livre vontade, para sugar o tutano da vida. Aniquilar tudo o que não era vida. Para, quando morrer, não descobrir que não vivi". (Henry David Thoreau)

27.03.19

Falta de coerência

Dylan
Alguém diga à eurodeputada Ana Gomes que é uma grande falta de coerência acusar outros de ter um "passado de delinquência" e ao mesmo tempo defender publicamente criminosos cibernéticos que têm um presente de delinquência, inclusive detidos em prisão preventiva. Eu não quero pôr a mão no fogo por nenhum dirigente desportivo, mas já não é a primeira vez que a militante socialista, no alto da sua aviltante imunidade parlamentar, insinua, acusa e atinge a credibilidade de (...)
24.03.19

Quem quer casar com o hacker

Dylan
Depois de tantos "reality show" degradantes na televisão portuguesa podíamos juntar o "Quem quer casar com o hacker".  Para que não digam que há discriminação de género, as candidaturas estariam abertas a ambos os sexos. O programa seria um êxito de audiências pois este solitário é considerado por estas bandas como uma espécie de Messias, o homem que vai terminar com a seca no país, a pessoa que vai acabar com a corrupção na humanidade e desmascarar os podres do futebol, e (...)
11.03.19

Vocações trocadas

Dylan
O juiz Neto de Moura, conhecido pelas polémicas sentenças de casos de violência doméstica, continua a insistir que "não é despropositado usar a Bíblia para fundamentar decisões". Posto isto, penso que não terá uma vocação para magistrado, terá uma propensão para padre, sacerdote ou simplesmente um especialista em Direito Canónico. Já  o hacker português refugiado na Hungria e que possivelmente será extraditado para Portugal tem uma vocação de juiz, pois trata-se de (...)
21.01.19

Somos Pinto

Dylan
Noutro país civilizado, o cibercrime é severamente punido. Em Portugal, o sabão azul e branco conseguiu transformar um pirata informático num herói, uma mistura de Assange com Snowden, um Robin dos Bosques com um Zé do Telhado. Não consta que o hacker caridoso roubasse aos ricos para dar aos pobres, sabe-se que fez da extorsão a organizações desportivas e da chantagem a instituições financeiras o seu modo de vida. "Somos Pinto", berram os fanáticos da bola, sem quererem saber (...)