Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DYLAN´S WORLD

"Fui à floresta viver de livre vontade, para sugar o tutano da vida. Aniquilar tudo o que não era vida. Para, quando morrer, não descobrir que não vivi". (Henry David Thoreau)

DYLAN´S WORLD

"Fui à floresta viver de livre vontade, para sugar o tutano da vida. Aniquilar tudo o que não era vida. Para, quando morrer, não descobrir que não vivi". (Henry David Thoreau)

15.11.20

A pão e água

Dylan
Primeiro foi dito que a actividade cultural não podia parar, depois fomos incentivados ao consumo natalício para alavancar a economia, mas agora o Governo muda o discurso e manda toda a gente para prisão domiciliária, o que não acontecia desde 1975, uma espécie de castigo  para culpabilizar o mau comportamento dos cidadãos em relação ao contágio do vírus.  Parece cientificamente discutível confinar milhões de pessoas, muitas delas saudáveis, em nome da "defesa da (...)
16.10.20

Stay Away Políticos

Dylan
  O governo esteve razoavelmente bem na primeira onda da pandemia mas agora está a cair no ridículo e a contradizer-se no sentido de obrigar os cidadãos a usarem máscara em todos os espaços públicos - quando essa peça no passado "dava falsa segurança" - medida que não trava o aumento de infectados na Europa, e principalmente com a exigência em forçar as pessoas com telemóvel a instalar a aplicação "Stay Away Covid". Em sete meses, não foram capazes de procurar uma (...)
17.09.20

Pequenos ditadores

Dylan
Alguns presidentes de câmara decidiram ser epidemiologistas e não só recomendam que se use máscara na rua como pedem ao Governo que a torne "obrigatoriedade legal". Estes pequenos ditadores querem emitir as suas próprias regras restritivas sob pretexto de proteger a saúde pública e esquecem-se dos doentes não Covid, não se preocupam em saber se os seus munícipes já têm acesso aos milhões de consultas presenciais que não foram realizadas nos Centros de Saúde locais, aos (...)
06.06.20

Esgotamento físico e mental

Dylan
Um estudo de uma Faculdade e de um Politécnico do Porto concluiu aquilo que já se suspeitava, mais de metade dos profissionais de saúde admitem estar em exaustão física ou psicológica devido ao combate à Covid-19. Estes trabalhadores não beneficiaram do layoff mas sim do "burnout", um aumento dos níveis de stress e ansiedade. Recordemos o cansaço constante que é carregar o país, desde Março, às costas, as contínuas dores lombares e musculares, as dores de cabeça, a (...)
12.04.20

Vá-se lá saber porquê

Dylan
  Em pouco mais de 100 anos de epidemiologia, este vírus pulmonar em forma de uma coroa promete ser aquele que vai inspirar mais medo e causar danos irreparáveis. No entanto, há coisas que mudaram com esta pandemia, afinal sempre era possível baixar os preços dos combustíveis, impedir os trabalhadores dos hiper e supermercados de trabalhar ao Domingo, viver sem arruinar o ambiente e sobreviver sem o futebol. Conclui-se agora que o Serviço Nacional de Saúde é exemplar, os (...)
29.03.20

Agentes provocadores

Dylan
  Quero pedir desculpa mas não concordo com a maioria que acha que as imagens do último Sábado de longas filas de trânsito na Ponte 25 de Abril se deveu à fuga dos lisboetas em direcção ao sol da Caparica e do Algarve por causa do início das férias da Páscoa. É normal a acumulação de automóveis a partir do momento em que a polícia decide cortar a faixa de rodagem e interpela todos os condutores, carro a carro. Lamento que a notícia não tenha referido que a maioria (...)
28.03.20

Justiceiros de pijama e sofá

Dylan
  Temos sido bem alertados para a necessidade de ficarmos em casa nesta época de pandemia mas seria bom interrogar-nos se todas as pessoas têm condições para tal confinamento. Desde logo os sem-abrigo, os milhares de cidadãos a viver em barracas sem água canalizada e saneamento, famílias numerosas a viver em espaços exíguos que não conseguem comer uma refeição de carne e peixe de dois em dois dias, sem televisão ou máquina de lavar roupa e com crianças sem tecnologia (...)
23.03.20

Sei o que fizeste no fim de semana passado

Dylan
Neste filme de terror, eu sei o que fizeste no fim de semana passado, atropelaste toda a gente no supermercado para poderes chegar primeiro e esvaziar as prateleiras com o medo de que o mundo acabe. Na farmácia, monopolizaste o álcool desinfectante, o paracetamol e as máscaras, em vez de as deixares para os profissionais de saúde e para quem está debilitado. De manhã, espalhas notícias pelas redes sociais que causam pânico e não correspondem à realidade só porque "covi-dizer", (...)
21.03.20

Vencer o medo

Dylan
  Na minha vida profissional deparei-me com uma jovem grávida prestes a ser mãe que parecia estar a ter um ataque de pânico pois confessou-me que não conseguia lidar com a situação de sermos bombardeados 24 horas com notícias sobre o maldito vírus. À sua insegurança e preocupação respondi com serenidade, mostrando tranquilidade pelo futuro pois apanhar o vírus não é sinónimo de morte nem tampouco a humanidade será exterminada ao estilo de Hollywood. Esta ameaça (...)
12.03.20

A febre do medo

Dylan
  Já estamos fartos da "coronização" da sociedade feita por alguma comunicação social alarmista que não tapa o nariz e a boca quando espirra. Não precisamos de máscaras, precisamos de tampões para os ouvidos que impeçam tanta desinformação. É hora dos media portugueses reflectirem sobre a cobertura jornalística deste problema e aplicarem gel desinfectante no sensacionalismo. Sabemos que estamos em guerra contra uma pandemia quase desconhecida mas estarmos a ser metralhados (...)