Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

DYLAN´S WORLD

"Fui à floresta viver de livre vontade, para sugar o tutano da vida. Aniquilar tudo o que não era vida. Para, quando morrer, não descobrir que não vivi". (Henry David Thoreau)

DYLAN´S WORLD

"Fui à floresta viver de livre vontade, para sugar o tutano da vida. Aniquilar tudo o que não era vida. Para, quando morrer, não descobrir que não vivi". (Henry David Thoreau)

Qui | 14.08.08

O pior clube da Europa na bolsa

Dylan

 

FC Porto é o pior clube da Europa na bolsa.

 

Acções da SAD caíram 30% desde o início do ano, o pior desempenho entre os clubes europeus.

Se a bolsa funcionasse com as regras do futebol, a SAD do Porto seria despromovida. Isto porque as acções do emblema azul e branco seguem com o pior desempenho entre os clubes europeus de futebol cotados em bolsa.

A conquista do tricampeonato de nada valeu aos accionistas do FC Porto que, apesar do sucesso desportivo do clube, viram o seu investimento derrapar 30% este ano. O mesmo é dizer que cinco mil euros investidos no início do ano valem hoje 3.500 euros. Esta prestação coloca a SAD portista no último lugar do Dow Jones Stoxx Football, um índice que reúne 27 clubes europeus que negoceiam em bolsa.

Um dos investidores penalizados pelo comportamento das acções é o próprio presidente do FC Porto, Pinto da Costa, que perdeu 91 mil euros com os títulos do clube que dirige, desde o início do ano. De acordo com o último relatório e contas, Pinto da Costa detém 152,4 mil acções da instituição.

Mesmo com uma queda de 30% em 2008, a SAD portista apresenta um desempenho mais positivo face à maioria das cotadas do PSI 20, a principal montra da bolsa portuguesa. Só o BPI e o BCP já perderam mais de metade do seu valor de mercado este ano, por exemplo.

Mas o desempenho do FC Porto na bolsa está em contraciclo com o do futebol europeu que, este ano, está a dar dinheiro aos investidores. Em 2008, o Dow Jones Stoxx Football valorizou 11%, um mundo à parte da crise que se faz sentir nos mercados. Aliás, clubes como o Fenerbache, que disparou 116% este ano,  e a AS Roma, que subiu 38%, fazem inveja à maioria dos investidores da bolsa que continua a perder dinheiro na crise do ‘subprime’.

Na maioria dos casos, o sucesso desportivo de uma empresa cotada provoca uma subida no valor das suas acções. Já os títulos das Sociedades Anónimas Desportivas (SAD) parecem, pelo contrário, ignorar a exibição dos clubes dentro das quatro linhas. Em 2004, por exemplo, ano em que o FC Porto venceu a Liga dos Campeões sob o comando de José Mourinho, os títulos desvalorizaram 21%.

Existem duas explicações para esta discrepância entre os feitos dos clubes e a evolução das suas acções. A primeira é a estrutura blindada das SAD. Ao controlarem mais de 50% do capital, como são os casos do Benfica e do Sporting, os clubes de futebol afastam potenciais investidores, que não vão aplicar dinheiro numa empresa onde nunca poderão ser maioritários, independentemente do preço oferecido.

Outra das justificações é a de que nas SAD o investidor também é adepto e, muitas vezes, o amor à camisola acaba por se sobrepor aos critérios de racionalidade económica que regem os mercados financeiros. A OPA de Joe Berardo sobre o Benfica, por exemplo, não colheu mais de 1% do capital.

 

"Diário Económico"

3 comentários

Comentar post