Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DYLAN´S WORLD

"Fui à floresta viver de livre vontade, para sugar o tutano da vida. Aniquilar tudo o que não era vida. Para, quando morrer, não descobrir que não vivi". (Henry David Thoreau)

DYLAN´S WORLD

"Fui à floresta viver de livre vontade, para sugar o tutano da vida. Aniquilar tudo o que não era vida. Para, quando morrer, não descobrir que não vivi". (Henry David Thoreau)

24.05.20

Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades (II)

Dylan
Fiquei emocionado com tanto altruísmo de uma chusma de gente que decidiu que as férias dos portugueses devem ser passadas no próprio país, uma espécie de "vá para fora cá dentro" pelos destinos de campo e territórios de baixa densidade para ajudar a economia e combater o desemprego. São os mesmos que antes da pandemia preferem colocar fotos nas redes sociais de remotas praias azuis turquesa em vez de decrépitas aldeias transmontanas que sofrem há muito tempo com a (...)
22.05.20

Elefante numa loja de porcelanas

Dylan
A antiga eurodeputada socialista Ana Gomes parece um elefante numa loja de porcelanas, no entanto, escolhe selectivamente as louças e os cristais que quer partir, por isso, ninguém a quer manter na sua loja e muita gente já nem leva a sua demagogia a sério. Na sanha justiceira abusa do populismo e entra em contradição, tanto luta contra a corrupção e os criminosos como a seguir defende publicamente hackers que tentaram extorquir dinheiro a pessoas e instituições. Admite (...)
13.05.20

Proteger as crianças

Dylan
  Nunca te conheci mas jamais te esquecerei Valentina, o teu doce sorriso e a forma amorosa com que tratavas os animais. O único conforto que sinto é saber que os responsáveis da tua morte apodrecerão na prisão sem antes receberem um "caloroso comité de boas vindas". Ser pai não é ser procriador, é levantar da cama, de noite, vezes sem conta para ver se os filhos estão descobertos, se respiram bem, é sentir aquela pontada no estômago quando eles estão doentes, é brincarmos (...)
03.05.20

O ópio do povo

Dylan
Já era hora deste plano de desconfinamento ser aplicado mas não deixa de causar uma certa perplexidade o facto do futebol regressar no fim do mês, ainda para mais depois do cancelamento da Segunda Liga e das principais modalidades de pavilhão. O governo desconfina, o cidadão desconfia por pedirem para andar de máscara, para manter o distanciamento social de forma a reduzir a transmissão do coronavírus mas não compreende como se vai conseguir manter uma distância relativamente (...)
03.05.20

O ópio do povo

Dylan
Já era hora deste plano de desconfinamento ser aplicado mas não deixa de causar uma certa perplexidade o facto do futebol regressar no fim do mês, ainda para mais depois do cancelamento da Segunda Liga e das principais modalidades de pavilhão. O governo desconfina, o cidadão desconfia por pedirem para andar de máscara, para manter o distanciamento social de forma a reduzir a transmissão do coronavírus mas não compreende como se vai conseguir manter uma distância relativamente (...)
12.04.20

Vá-se lá saber porquê

Dylan
  Em pouco mais de 100 anos de epidemiologia, este vírus pulmonar em forma de uma coroa promete ser aquele que vai inspirar mais medo e causar danos irreparáveis. No entanto, há coisas que mudaram com esta pandemia, afinal sempre era possível baixar os preços dos combustíveis, impedir os trabalhadores dos hiper e supermercados de trabalhar ao Domingo, viver sem arruinar o ambiente e sobreviver sem o futebol. Conclui-se agora que o Serviço Nacional de Saúde é exemplar, os (...)
29.03.20

Agentes provocadores

Dylan
  Quero pedir desculpa mas não concordo com a maioria que acha que as imagens do último Sábado de longas filas de trânsito na Ponte 25 de Abril se deveu à fuga dos lisboetas em direcção ao sol da Caparica e do Algarve por causa do início das férias da Páscoa. É normal a acumulação de automóveis a partir do momento em que a polícia decide cortar a faixa de rodagem e interpela todos os condutores, carro a carro. Lamento que a notícia não tenha referido que a maioria (...)
28.03.20

Justiceiros de pijama e sofá

Dylan
  Temos sido bem alertados para a necessidade de ficarmos em casa nesta época de pandemia mas seria bom interrogar-nos se todas as pessoas têm condições para tal confinamento. Desde logo os sem-abrigo, os milhares de cidadãos a viver em barracas sem água canalizada e saneamento, famílias numerosas a viver em espaços exíguos que não conseguem comer uma refeição de carne e peixe de dois em dois dias, sem televisão ou máquina de lavar roupa e com crianças sem tecnologia (...)
23.03.20

Sei o que fizeste no fim de semana passado

Dylan
Neste filme de terror, eu sei o que fizeste no fim de semana passado, atropelaste toda a gente no supermercado para poderes chegar primeiro e esvaziar as prateleiras com o medo de que o mundo acabe. Na farmácia, monopolizaste o álcool desinfectante, o paracetamol e as máscaras, em vez de as deixares para os profissionais de saúde e para quem está debilitado. De manhã, espalhas notícias pelas redes sociais que causam pânico e não correspondem à realidade só porque "covi-dizer", (...)
21.03.20

Vencer o medo

Dylan
  Na minha vida profissional deparei-me com uma jovem grávida prestes a ser mãe que parecia estar a ter um ataque de pânico pois confessou-me que não conseguia lidar com a situação de sermos bombardeados 24 horas com notícias sobre o maldito vírus. À sua insegurança e preocupação respondi com serenidade, mostrando tranquilidade pelo futuro pois apanhar o vírus não é sinónimo de morte nem tampouco a humanidade será exterminada ao estilo de Hollywood. Esta ameaça (...)