Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DYLAN´S WORLD

"Fui à floresta viver de livre vontade, para sugar o tutano da vida. Aniquilar tudo o que não era vida. Para, quando morrer, não descobrir que não vivi". (Henry David Thoreau)

DYLAN´S WORLD

"Fui à floresta viver de livre vontade, para sugar o tutano da vida. Aniquilar tudo o que não era vida. Para, quando morrer, não descobrir que não vivi". (Henry David Thoreau)

06.08.18

Praia urbana de Santo Tirso

Dylan
 Confesso que quando ouvi a notícia de construir uma praia urbana em Santo Tirso, junto ao rio Ave - uma dos mais poluídos da Europa -, fiquei petrificado. Afinal, a notícia era alarmista e incompleta, mas só sosseguei quando fui ao local e vi a barreira física constituída pelo passadiço que separa os 10 mil metros quadrados de praia das margens do rio. Uma ideia que nasceu na cabeça de quatro jovens de uma escola do concelho inspirados nas praias urbanas de Lisboa, Madrid e (...)
29.07.18

A cidade da cor

Dylan
  Rio-me quando vejo Lisboa e Porto a gastar milhões em promoção turística e descubro que com meia dúzia de tostões, criatividade e imaginação, faz-se sucesso. Junte-se um festival cultural (AgitÁgueda) que transforma a cidade numa tela de arte urbana: bancos de jardins e escadarias que parecem arco-íris, ruas com milhares de chapéus de chuva, balões, fitas e muitos outros apontamentos de desenho e cor. Outro ponto positivo é a (...)
19.07.18

Bairro do Quelho

Dylan
O Bairro do Quelho, em Salzedas, Tarouca, é um sítio desconhecido mas com uma riqueza histórica extraordinária. Quando lá entrei parece que recuei à época medieval. É quase certo que foi uma judiaria sefardita, com ruelas estreitas, labirínticas, de construções rurais com alpendres em madeira, na sua maioria de três pisos, servindo o primeiro para o abrigo dos animais e os restantes pisos para habitação e comércio. É de lamentar o estado de ruína do local, a falta de (...)
18.07.18

Com papas e bolos se enganam os tolos

Dylan
  Enquanto se discute a tragédia do Ronaldo em ter mudado de clube, quase ter ficado desempregado, o parlamento chumbou o projecto de lei que punha fim ao adicional ao Imposto sobre os Produtos Petrolíferos (ISP). Engraçado que, há dias atrás, todos os partidos, à excepção dos socialistas, defendiam uma redução do ISP, inclusive esse tal projecto de lei que foi agora rejeitado. Hipocritamente, dois dos partidos "amigos dos pobres" que compõem a "gerigonça" mudaram de (...)
15.07.18

Les bleus

Dylan
Vinte anos depois, a França voltou a levantar a taça de campeões do mundo de futebol. A final do campeonato da Europa perdida dois anos antes não serviu para lamber as feridas mas para aumentar a fome de vencer. Identificado os erros, activado o reseat mental, convocou-se sempre os melhores. Uma defesa sólida, um meio campo agressivo e um ataque eficaz demoliram quem lhes apareceu pela frente. A França não quer jogar bonito, quer ser pragmática, não tem uma vedeta que se põe em (...)
08.07.18

Patriotas de ocasião

Dylan
  Vi centenas de desocupados em Lisboa, junto ao aeroporto, à espera da Selecção portuguesa proveniente da Rússia. Pensei que tal aparato se devesse à intenção da FPF em dividir os cerca de 11 milhões de euros recebidos em prémios que embolsou no Mundial, ou os 66 mil euros que cada jogador recebeu. Isso é que era um exemplo de patriotismo solidário, a preocupação com o bem estar dos seus. Cheira a falso colocar bandeiras na janela e depois andar o resto do ano a enganar o (...)
04.07.18

Pimenta nos outros é refresco

Dylan
  Fico estarrecido com algumas pessoas que querem que o Infarmed vá para o Porto a todo o custo. São os mesmos que vão a correr consultar o Código de Trabalho quando os patrões deslocalizam as suas empresas e o seu posto de trabalho, mas que, de forma sádica, não se importam que os funcionários do Infarmed, muitos deles com filhos em idade escolar, transfiram as suas vidas de Lisboa para o Porto. Confundem descentralização com deslocalização, atiçados por políticos (...)
29.06.18

Para o Sado nunca mais

Dylan
  Confesso que estava com grande curiosidade em ver a renovação urbanística de Tróia depois da demolição das torres do antigo complexo da Torralta. Afinal surgiram outros mamarrachos, mais modernos, em forma de prédios e hotéis, bunkers para ricos, colados a uma reserva natural, e praias que outrora eram públicas passaram a ser vedadas. Os preços na economia local dispararam, o estacionamento é insuficiente, obrigando os visitantes a deixarem as suas viaturas em parques (...)
11.06.18

Guerra contra o plástico

Dylan
O Dia Mundial do Ambiente deste ano declarou guerra ao plástico, lembrando que 80% da poluição dos oceanos provem da pessoas que estão em terra. Estudos revelam que, em 2050, poderá haver mais plástico no mar do que peixes! Uma maneira de perseverar o meio ambiente não é colocar vídeos da poluição ambiental nas redes sociais para parecer bonito, mas fazer a separação dos nossos resíduos e enviá-los para a reciclagem. É hora de abandonar o comodismo e partirmos como (...)
07.06.18

Nunca mais

Dylan
  Quase um ano depois daquele maldito 17 de Junho, em Pedrógão Grande, importa trabalhar para que a tragédia não volte a acontecer, mas que não sejam palavras ocas como os fogos que se seguiram, em Outubro, na região Centro, trataram de comprovar. Nunca mais transformem as populações em Protecção Civil, enfrentando os fogos, nem convertam comandantes de bombeiros em arguidos suspeitos de homicídio por negligência. Nunca mais digam que a culpa foi da descarga eléctrica, (...)