Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DYLAN´S WORLD

"Fui à floresta viver de livre vontade, para sugar o tutano da vida. Aniquilar tudo o que não era vida. Para, quando morrer, não descobrir que não vivi". (Henry David Thoreau)

DYLAN´S WORLD

"Fui à floresta viver de livre vontade, para sugar o tutano da vida. Aniquilar tudo o que não era vida. Para, quando morrer, não descobrir que não vivi". (Henry David Thoreau)

18.10.21

Façam as vossas apostas

Dylan
Aproximam-se tempos de grandes decisões no país, é hora de fazer apostas responsáveis pois as possibilidades de ganho são grandes. Fazem-se prognósticos pelo combate de artes marciais entre o ex-juiz Rui Fonseca e Castro e o director nacional da PSP, Magina da Silva. Avalia-se, em casa, na companhia de um balde de pipocas, o combate político pela liderança do PSD na categoria "peso-pluma" entre Rui Rio e Paulo Rangel, e o outro combate na categoria "médio pesado" entre "Chicão" (...)
07.10.21

Pedantes de ouro

Dylan
Acho que estamos todos agradecidos ao vice-almirante Gouveia e Melo pelo trabalho desempenhado na vacinação contra a covid-19, contudo, como vejo tanto pedantismo em volta de tal personagem ao ponto de ser distinguido com um Globo de Ouro por uma estação televisiva, é justo criar os troféus Pedantes de Ouro. O prémio revelação vai para o ministro da Defesa, devido à polémica em torno da substituição do chefe do Estado-Maior da Armada por troca com Gouveia e Melo, o de teatro (...)
27.09.21

Por um punhado de moedas

Dylan
Fernando Medina foi destronado da Câmara de Lisboa por um punhado de moedas e pelo antigo negociador da troika, o que terá entristecido Putin, que não poderá voltar a receber dados pessoais de manifestantes russos. No Porto, o outro Vladimir(o) ficou feliz por ter contribuído para a perda de maioria absoluta de Rui Moreira e contente com aquela "vitória estrondosa" que fez com que o PSD fosse eleito como a terceira força política! Por um punhado de muitas moedas fizeram-se (...)
26.09.21

Respiracionistas

Dylan
Como perigoso "respiracionista" que sempre fui, inspirando e expirando pelos pulmões sem qualquer máscara a tapar-me a boca e o nariz no meio natural e mesmo na rua, porque nunca foi obrigatório, não posso deixar de rir com o anunciado "dia da libertação", a 1 de Outubro. O único "dia da libertação" que conheço em Portugal foi o 25 de Abril de 1974, que colocou um ponto final a quase 50 anos de fascismo e, embora andem por aí saudosistas a impor restrições aos direitos e (...)
05.08.21

O salto para a liberdade

Dylan
A medalha de ouro de Pedro Pichardo no triplo salto em Tóquio não significou apenas igualar os feitos de Carlos Lopes, Rosa Mota, Fernanda Ribeiro e Nélson Évora no pódio olímpico. Foi um salto para a liberdade ao fugir de um regime político cubano cada vez mais caquéctico e que o renegou. Lembrou-me aquele salto do soldado da RDA que se evadiu para a Alemanha Ocidental na década de 60 por entre a cerca de arame farpado que dividia o país. Naturalizar-se não é apenas adquirir (...)
01.08.21

E esta, hein

Dylan
Aquele país escandinavo que vive na pré-história, onde os seus habitantes têm que montar os seus próprios móveis e passeiam nas ruas os "chaços" da marca Volvo, têm menos óbitos do que Portugal por Covid-19 bem como menos mortalidade colateral em excesso de outras causas naturais. A Suécia, com o número de população idêntica à do nosso país e cuja estratégia para combater esta pandemia não pode ser pronunciada, foi apelidada de "criminosos sem noção" quando as mortes (...)
27.07.21

Aquele cujo nome não pode ser pronunciado

Dylan
Morreu um dos "capitães de Abril", isso por si só devia ser motivo de profunda tristeza e respeito porque teve mais coragem num dia do que a maioria em toda a sua vida,  mas não, as redes sociais foram inundadas pelo ódio, ressentimento e até regozijo. Otelo Saraiva de Carvalho, cujo nome não pode ser pronunciado pelas viúvas do antigo regime, colocou a sua vida e carreira em perigo para arquitectar um plano que fez derrubar um sistema político sem sequer fazer uma única (...)
25.07.21

Autofagistas

Dylan
A cantora e bailarina Blaya ingeriu a placenta misturada num batido depois do seu recente parto. Ainda ontem lancetei um furúnculo e tive pena de não o trazer para casa juntando-lhe uns espargos. Temos que agradecer a esta nova moda de autofagistas porque abrem um sem-número de possibilidades na área da nutrição e da gastronomia em tempo de falta de alimento. Imagino a delícia e os benefícios clínicos que deve ser provar uma vesícula de cebolada, um apêndice com todos, umas (...)
20.07.21

Apologia do egoísmo

Dylan
    Lamento desiludir muito moralista mas como vacinado contra a covid-19 jamais admitirei que tratem os não vacinados - por opção ou por insuficiência de vacinas - como leprosos impuros e que se use um certificado digital inútil para segregar visto que a vacina não impede mas apenas diminui o risco de contrair o vírus. Chega a ser caricato ver alguém a quem foi dispensado tratamento diferenciado devido à sua orientação sexual tentar inferiorizar um não vacinado ou um (...)