Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DYLAN´S WORLD

"Fui à floresta viver de livre vontade, para sugar o tutano da vida. Aniquilar tudo o que não era vida. Para, quando morrer, não descobrir que não vivi". (Henry David Thoreau)

DYLAN´S WORLD

"Fui à floresta viver de livre vontade, para sugar o tutano da vida. Aniquilar tudo o que não era vida. Para, quando morrer, não descobrir que não vivi". (Henry David Thoreau)

Moralidade pudica

 

LAPIS.jpg

 Depois de termos sido catalogados pelo primeiro-ministro de "piegas" e termos sido aconselhados a empobrecer, é agora a vez dos jornalistas serem chamados de "preguiçosos", "orgulhosos" e "Maria vai com as outras". Esta moralidade pudica, esta forma de pressão sobre o jornalismo "que informa mal os portugueses" faz-nos recuar ao tempo da saudosa Censura: um Portugal fictício, de aparências, de forma a ocultar a realidade à União Europeia e à "Troika" sobre a situação real da economia e das finanças públicas.

Um problema de digestão

 

menezes.jpg

 Um ano depois de Rui Moreira ter tomado posse na Câmara Municipal do Porto, parece que muito boa gente continua com um grave problema de digestão. A sensação de enfartamento revela-se naquele jornal que se titula "a voz do norte", "o único diário da cidade do Porto", através da pena do seu subdirector, utilizando a coluna de opinião para atacar outro cronista, o chefe de gabinete do presidente da câmara. É delicioso ver este aguçar de facas, desde a conhecida simpatia reverencial que o periódico nutria por Luís Filipe Menezes, o salvador messiânico, até à costumeira antipatia por Rui Rio, culminando com a ciumeira pela aproximação institucional de Rui Moreira a Lisboa, nada que um bom medicamento com bicarbonato não resolva.

Lixo tóxico

bpn3.jpg

Parece que as agências de "rating" continuam a colocar Portugal no "lixo". É normal, a actividade de certos humanos, produtores de resíduos, transformaram este país num gigantesco aterro sanitário. A imundície começou com os resíduos sólidos urbanos do BPN, apesar da tentativa falhada de compostagem por parte de correligionários do partido que hoje está no Governo. Segui-se o entulho inorgânico dos submarinos, descarregados pelo então ministro da Defesa, que ainda hoje expele um estranho odor a metano. A seguir, os resíduos especiais perigosos para a saúde das contas públicas: o  buraco gerado pela dívida da Madeira e as PPP (parcerias público-privadas), iniciadas em 1995 com as pontes de Lisboa. Por fim, o lixo "tóxico" do BES que pode vir a ser reciclado pelos contribuintes, imagine-se, já que a sua incineração é impossível!  

Mais sobre mim

imagem de perfil

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D