Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DYLAN´S WORLD

"Fui à floresta viver de livre vontade, para sugar o tutano da vida. Aniquilar tudo o que não era vida. Para, quando morrer, não descobrir que não vivi". (Henry David Thoreau)

DYLAN´S WORLD

"Fui à floresta viver de livre vontade, para sugar o tutano da vida. Aniquilar tudo o que não era vida. Para, quando morrer, não descobrir que não vivi". (Henry David Thoreau)

O lado negro e putrefacto do futebol

Finalmente fez-se luz sobre a demissão de Hermínio Loureiro da Liga de Futebol Profissional. Ao melhor estilo de Chicago dos anos 20, o presidente demissionário falou de intimidação, coacção, insultos e vinganças nos meandros do futebol português apontando nomes a norte. Já anos antes, o insuspeito José Mourinho, ao serviço do Chelsea, deslocava-se com seguranças à cidade do Porto pois comparava esta com Palermo. Rui Rio também teve uns episódios curiosos como edil desta cidade. Até se compreende que criminosos, sendo legalizados, acompanhem presidentes de clubes à porta de tribunais, mas quando são dirigentes que ameaçam fazer "a vida negra" a um órgão autónomo da Federação Portuguesa de Futebol, vem à tona o lodo em que o futebol português está metido há mais de 25 anos e que, recentemente, excertos de escutas telefónicas colocadas na internet vieram comprovar.

Desregulamentação farmacêutica

O Decreto-Lei nº 53/2007 veio liberalizar a propriedade de Farmácia mas ao mesmo tempo lançou o sector num descrédito total. Sob a capa da de um pretenso bem-estar do doente, o actual exercício da actividade farmacêutica não é mais do que uma avidez de interesses económicos e pessoais desrespeitadores do Código Deontológico da classe a que nem os jovens farmacêuticos escapam. Nas grandes cidades, as farmácias digladiam-se por clientes através do engodo de mirabolantes descontos ao melhor estilo taberneiro. As que estão de serviço permanente e de regime de reforço fazem apenas figura de corpo presente sem saber se vão conseguir pagar as horas extraordinárias aos seus funcionários que estão de plantão. Nem as recentes deslocalizações disfarçam o facto de haver farmácias a mais no País a que se acrescenta a proliferação de Parafarmácias - na penúria -, os postos de venda de medicamentos não sujeitos a receita médica (MNSRM) - como cogumelos -, e as Farmácias Hospitalares. Parabéns ao Governo que acabou com um serviço de qualidade e abriu as portas aos gananciosos e oportunistas sem ética.

Foi bonita a festa, pá!

 

 

O treinador do SC Braga tinha previsto que algo ia acontecer. Realmente acertou - um vulcão entrou em erupção na Luz debitando para a atmosfera cinzas vermelhas que cobriram o espaço aéreo nacional de norte a sul do país, também em África, na Ásia e na Europa. O magma incandescente derreteu os maus perdedores, sempre prontos a minimizarem as vitórias dos outros através da intimidação e comunicados dignos de uma taberna do interior. Falaram em túneis - esqueceram-se do verdadeiro precursor do túnel nauseabundo dos anos 90 -, criaram um artificial candidato ao título que, apesar da sua boa época desportiva, foi sustentado por erros arbitrais. Mesmo assim, venceu a melhor equipa: o Benfica. Com um futebol vistoso, com o melhor marcador, com o maior número de golos marcados e menos sofridos, com jogadores ameaçando transferências milionárias, com mais espectadores e carregados por um andor - os adeptos. Como diz Chico Buarque: foi bonita a festa, pá!

 

Castração cultural

 

Penso que os recentes aumentos para o acesso a museus e outros monumentos geridos pelo Estado é uma castração cultural, num país demasiado "futebolizado" e enredado em novelas televisivas. Bem sei que, comparando os preços com países como a França e a Espanha, a diferença não é muita, o problema é o nosso nível de vida ser mais modesto, ainda para mais numa época de recessão económica. E se a desculpa para esse aumento for as recentes intervenções de qualificação em alguns monumentos, uma breve deambulação pelo país demonstra a incúria dos governantes perante tanto património votado ao abandono e que envergonha a nossa extraordinária herança cultural.

Greves saturantes

 

Compreendo que o direito à greve seja uma decisão livre e justa, mais do que imposição sindical, mas não concordo que sejam sempre os mesmos a acarretarem com os transtornos dessas acções. No caso da CP, quantas vezes são feitas greves ao longo do ano e com que benefícios para os trabalhadores? Por outro lado, quem compensa os utentes por não usufruírem da assinatura mensal dos transportes paga por antecedência ,  por serem obrigados a usar outro meio de transporte alternativo mais custoso e,  eventualmente , perderem um dia de salário?

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D